Os Dash Buttons da Amazon: tendência ou flop?


Outro dia fiquei a conhecer os Dash Buttons da Amazon e, depois de algum entusiasmo inicial, apercebi-me rapidamente que a ideia, pelo menos da forma como é apresentada, é mais fogo-de-vista do que propriamente uma grande revolução. Neste artigo explico em que consistem os Dash Buttons, quais os problemas que identifiquei e porque motivo acho que esta serão um flop.

Como funcionam os Dash Buttons

Basicamente, tratam-se de uns pequenos dispositivos parecidos com botões, para colocar pela casa, em sítios estratégicos que, quando clicados, despoletam uma encomenda na Amazon em teu nome. Daí a 24 horas tens os produtos em casa sem teres feito "ativamente" uma encomenda.

Para configurar um botão, coloca-se este ligado à nossa rede wi-fi e, utilizando a aplicação da Amazon para dispositivos móveis, define-se o que o botão faz quando clicado: quando clicar o botão da Tide, encomendar duas embalagens do produto, por exemplo.

Neste momento existe pouco mais que uma dezena de marcas que se associaram a esta tecnologia, mas adivinha-se que mais se seguirão.

O ideal é veres o vídeo promocional que foi disponibilizado pela Amazon:


Problemas que identifiquei na aplicação prática

Parece-me estranho que a mecânica, tal e qual foi apresentada, seja uma alternativa ao atual modelo que consiste em encomendar através de aplicação ou site com apenas mais alguns cliques.

Eu, por exemplo, compro detergente de dois em dois meses. Será que faz sentido ter um botão colado na máquina para quando precisar de comprar o detergente? Outro exemplo que apresentam no anúncio é o da compra de café, mas se eu quiser um café com intensidade ou sabor diferente, terei que reconfigurar o botão para depois fazer a encomenda clicando nesse mesmo botão. Parece-me mais fácil fazer a compra diretamente no site.

Vamos agora imaginar um cenário em que todas as marcas têm um botão que permite fazer uma compra de imediato. Nesse caso, a despensa irá parecer o centro de controlo de uma missão espacial da NASA. Não me parece viável, de todo.

Será um flop?

A ideia tal e qual é apresentada parece-me que será um flop(botões espalhados pela casa para fazer encomendas), mas a tecnologia não. Para todos os efeitos estamos a falar de um aparelho que quando clicado faz uma encomenda automaticamente, o que é impressionante.

Há já uma caneca de água que deteta quantas vezes houve passagem de água pelo filtro interno e que, quando um determinado número de utilizações for atingido faz automaticamente a encomenda de um novo filtro usando tecnologia semelhante, a Dash Replenishment Service. A diferença é que o utilizador não carrega em nenhum botão e deixa que o aparelho faça a gestão por ele, mas a tecnologia subjacente é idêntica. Isto é feito através de uma API disponibilizada pela Amazon aos construtores que a queiram utilizar para oferecerem aos seus clientes serviços semelhantes.

É interessante imaginar o que farão as marcas nesta guerra inevitável das encomendas automáticas. Imagino um cenário em que as pessoas, para cada máquina, possam associar um serviço (Amazon ou outro) para gerir as compras e que já dentro desse serviço, possam definir que tipo de produto querem que seja encomendado para determinados critérios. As dinâmicas que surgirão serão muito interessantes. Preço, exclusividade de produtos, rapidez de entrega, tudo será trabalhado em grandes campanhas de Marketing e novos modelos aparecerão.

É a internet das coisas!

E tu? Qual é a tua opinião relativamente a esta tecnologia?

Nuno Barreto

Mensagens populares deste blogue

Remover "Criado com Wordpress"

Whois privado: o que é e para que serve

Porque migrei o blog de Wordpress para Blogger